Browsing Tag

Ilustrações

Arte, Fotografia

Fotografia e ilustração de Johan Thörnqvist

October 9, 2012

Já pensou em juntar fotografia com ilustração? Não! Pois foi o que o sueco Johan Thörnqvist resolveu fazer. E eu quando vi não poderia ter sido diferente, encantamento na certa. Porque para quem já me comece e me acompanha aqui e lá no MadlyLuv, sabe que adoro as duas coisas, fotografia e ilustração, então vendo os traços simples da ilustração dele e as tonalidades das suas fotos, não pude deixar de me apaixonar.

Johan, com a sua criatividade e imaginação, mistura fotografia e ilustração, realidade e imaginação criando personagens bem típicos da imaginação literária infantil. Os traços são bem simples, como já disse, mas que se combina com a foto criando um mundo doce de imaginação.
Continue Reading…

Livros

Resenha: A Invenção de Hugo Cabret

August 14, 2012
A Invenção de Hugo CabretBrian SelznickEdições SM

Hugo Cabret é um menino órfão que vive escondido na central de trem de Paris dos anos 1930. Esgueirando-se por passagens secretas, Hugo toma conta dos gigantescos relógios do lugar: escuta seus compassos, observa os enormes ponteiros e responsabiliza-se pelo funcionamento da máquinas.

A sobrevivência de Hugo depende do anonimato:ele tenta se manter invisível porque guarda um incrível segredo, que é posto em risco quando o severo dono da loja de brinquedos da estação e sua afilhada cruzam o caminho do garoto.

Um desenho enigmático, um caderno valioso, uma chave roubada e uma homem mecânico estão no centro desta
intrincada e imprevisível história, que, narrada por texto e imagens, mistura elementos dos quadrinhos do cinema, oferecendo uma diferente e emocionante experiência de leitura.

Esse livro foi uma indicação da Bianca que me disse que o livro tinha uma história linda e uma diagramação muito bem feita. E eu aproveitei a minha ultima compra de livros, comprei tantos em quase dois meses que me assusto – hashas’, e acabou coincidindo a sua chegada com o termino de um livro. Então não pensei duas vezes e já fui logo começar a ler e saber se era bom mesmo? 😉

Li em um dia só, porque pode parecer que é grande, mas não é. O livro realmente tem uma diagramação muito bem feita, separado em textos e ilustrações, há tempos que não lia livros com as duas coisas, e que muitas vezes, são essas ilustrações que contam alguns trechos da história. Então se deixassem só as palavras diminuiria a quantidade de páginas, no entanto, para mim, perderia um pouco do encanto e para os leitores ávidos, como eu, você ler em pouco tempo mesmo.

Já a história é super gostosa e você tem como principal cenário uma estação ferroviária de Paris. A história e a escrita são bem leves, o que faz você sair lendo capitulo por capitulo, página por página simultaneamente. O livro é dividido em duas partes e cada parte tem 12 capítulos e nesses capítulos muitas ilustrações que ilustram uma determinada cena ou contam, como já falei.

A história se passa em 1931, conta sobre uma descoberta de Hugo Cabret, na verdade do seu pai, mas que ele sentiu que consertar-se a, ela mudaria o seu destino e ele é de uma família de cronometrista, pessoas de consertam relógios, e cresceu vendo o pai mexer com engrenagens e conserta relógios e, também, desde pequeno já montava e criava seus próprios brinquedos. Mas ela não é só ficção, é uma história que fala sobre o cinema e um dos seus grandes precursores, George Méliès. Mescla ficção com realidade e foi baseada a partir de achados de invenções, melhor dizendo autômatos, achados em um Museu na Filadélfia.

Às vezes eu venho aqui, de noite, mesmo quando não estou cuidando dos relógios, só pra olhar a cidade. Sabe, as máquinas nunca têm peças sobrando. Elas têm o número exato de peças que precisam. Então, eu imagino que, se o mundo inteiro é uma grande máquina eu devo estar aqui por algum motivo. E isso quer dizer que você, também, deve estar aqui por algum motivo.

p. 379

Já o filme, que também gostei, traz algumas mudanças com o desenrolar da história e até de alguns personagens. Como por exemplo, Isabelle que no livro é mais esperta e curiosa e também notei algumas mudanças, trocas de ações de um personagem para outro. Mas que não me fez desgostar tanto e a história continua sendo a mesmo, claro. Indico para quem não tiver muito tempo assistir o filme e para quem, como eu, gosta de ler e ver ilustrações bem feitas, o livro.

Adorei a sugestão da Bianca, tks =D, e para mim esse livro, pelo menos foi o que pensei assim que terminei, tem como lição para a vida, a persistência de nunca desistir do que realmente queremos. Sempre lutarmos e não perder a esperança e a força de vontade mesmo quando os meios mudam.

Arte

Street Art de Alicè

May 4, 2012

Conheci Alicè essa semana, dando uma olha no Street Art Utopia, indicado pela Emi, e simplesmente estou adorando seu trabalho. Porque, primeiro, adoro arte urbana, não essas coisas de bichação, mas artes mesmo e não vandalismo; segundo, pela temática do seu trabalho.

“Eu crio arte sobre as pessoas e seus relacionamentos, eu estou interessado em representar os sentimentos humanos e explorando diferentes pontos de vista. Eu particularmente gosto de retratar mulheres fortes e independentes “

Alicè Pasquini, ou simplesmente Alicè, é uma artista visual multimídia, Ilustradora, pintora e cenógrafa. É natural de Roma, mas já fez trabalhos para fora, como no Reino Unido, França e Espanha. Sua arte já viajou diversos países. Já colaborou no desenvolvimento do “Vertigine ed Rizzoli”, um projeto de graphic novel (romance gráfico), uma espécie de livro, normalmente contando uma longa história através de arte sequencial (uma distinção subjetiva entre um livro e outros tipos de histórias em quadrinhos).


Veja mais ▼

E ai vocês gostaram do estilo da Alicè? Para verem mais do seu trabalho acessem o seu Site ou o Flickr. E para encerrar, vejam o video (making off) de um projeto dela. =)

Alice Quadraro from street cluster on Vimeo.

Arte

Ilustrações de Ben Chen

February 13, 2012

Ben Chen é um ilustrador que se inspira em personagens de filmes, séries e livros para fazer sua belas e engraçadas ilustrações. Todas elas sempre mostrando um lado mais engraçado.

Essas ilustrações de personagens da história, de história em quadrinhos, seres mitológicos, personagens da televisão podem até ser uma versão que Ben queira passar, mas em quase todas podemos ver um lado cômico que nos leva a ver aqueles personagens de um novo modo.

Vejam mais trabalhos dele no Flickr e na página do Threadless.