Monthly Archives

January 2013

Livros

Cidade das Cinzas

January 24, 2013
Cidade das CinzasCassandra ClareOs Instrumentos Mortais v.02Galera Record

Clary Fray só queria que sua vida voltasse ao normal. Mas o que é “normal” quando você é uma Caçadora de Sombras assassina de demônios, sua mãe está em um coma magicamente induzido e você de repente descobre que criaturas como lobisomens, vampiros e fadas realmente existem? Se Clary deixasse o mundo dos Caçadores de Sombras para trás, isso significaria mais tempo com o melhor amigo, Simon, que está se tornando mais do que só isso. Mas o mundo dos Caçadores não está disposto a abrir mão de Clary — especialmente o belo e irritante Jace, que por acaso ela descobriu ser seu irmão. E a única chance de salvar a mãe dos dois parece ser encontrar o perverso ex-Caçador de Sombras Valentim, que com certeza é louco, mau… e também o pai de Clary e Jace. Para complicar ainda mais, alguém na cidade de Nova York está matando jovens do Submundo. Será que Valentim está por trás dessas mortes? E se sim, qual é o seu objetivo? Quando o segundo dos Instrumentos Mortais, a Espada da Alma, é roubada, a aterrorizante Inquisidora chega ao Instituto para investigar — e suas suspeitas caem diretamente sobre Jace. Como Clary pode impedir os planos malignos de Valentim se Jace está disposto a trair tudo aquilo em que acredita para ajudar o pai? Nessa sequência de tirar o fôlego da série Os Instrumentos Mortais, Cassandra Clare atrai os leitores de volta para o lado mais obscuro do submundo de Nova York, onde amar nunca é seguro e o poder se torna a mais mortal das tentações.

Clary agora sabe que é uma Caçadora de Sombras como sua mãe e que o pai que ela achava estar morto, na verdade está muito vivo e tem planos muito malignos que destruirá muito desse mundo. Mas as coisas não serão mais como antes e ela nunca poderá achar que estar segura.

Jace é acusado de estar ajudando Valentim e terá que lidar com a Inquisidora o acusando sempre e a desconfiança de Maryse Lightwood. Mas nem tudo é ruim, Clary e Jace mesmo tendo que esconder o que sentem um pelo outro, descobriram que são diferentes. Possuem dons desconhecidos.

Acho que é um fato desse livro todas as reviravoltas que surgem e você sempre tem que está bem atendo aos acontecimentos. Sim, uma dica que dou é ficar atento a pequenas coisas, acontecimentos, porque eles serão e são a chave que revelará segredos futuramente. Pode até parecer meio estranho, mas quando você ler saberá do que estou falando.

Os personagens continuam com a sua mesma personalidade, típica de cada um. E alguns ainda guardam segredos que só descobriremos mais adiantes sabe?! No final melhor dizendo, mas tenho um palpite que não teremos que esperar para os últimos volumes da coleção para começamos a descobri-los.

Alguns personagens acabam ganhando espaço na narrativa e mostrando seus sentimentos e inseguranças, da parte de alguns. E sim, temos muito tensão em algumas partes, inclusive cheguei a sentir pena de alguns personagens pelo rumo em que estava indo e tristeza por ter me apegado a ele. Mas lembre-se que nem tudo nessa história pode continuar como está, ok?

O filme do primeiro livro, Cidade dos Ossos, tem lançamento previsto para agosto desse ano e pelo trailer, que está incrível, me pareceu que estará muitooo bom mesmo. Como vocês podem ver abaixo, tem muitos efeitos especiais e com aquele gosto de aventura e ação. 😉

Fotografia

Minhas amigas fotografas

January 16, 2013

Dando uma olhada em algumas tags e categorias do blog, vi que estava em falta em mostra alguns fotógrafos que admiro muito o trabalho. Então resolvi fazer recomeçar mostrando logo as minhas amigas que são fotógrafas, não profissionalmente, mas muito amantes da arte. Acho que muitas vocês até já conhecem, mas vale apena mostra e registrar o trabalho delas. Para ver as miniaturas melhor (tamanho grande) é só clicar em cima.

Ana Flávia Cador

A Aninha foi uma das pessoas que me levou à fotografia, me fazendo aprender e a começar a mexer com fotografia e até mesmo webdesign. Suas fotos mostram o lado doce de uma menina/mulher que quer registrar os bons momentos da vida. Os momentos felizes que ficarão na lembrança. Acho que é assim que penso quando olho para suas fotos. Ela fotografa coisas simples, como suas cachorras e as flores em sua volta. Tudo em um clima divertido e/ou romântico. E tem um olhar muito bom, tanto para a digital quanto para as análogas. Gosto muito do jeito que as cores são aproveitadas e como ela explora as pequenas coisas, como no seu álbum de macro, que ela usou uma compacta e uma lupa de um canivete. Flickr

Bianca Moraes

A Bee é uma grande amiga que conheci ano passado e foi a pessoa que deu o clique na minha cabeça, me fazendo entender melhor algumas teorias da fotografia. E sem duvidas é uma inspiração, pois suas fotos, também, são simples e do cotidiano, mas com a exploração do seu lado artístico. Suas fotos são pedaços de DIYs e receitas que ela posta no blog ou apenas fotos poéticas, te transmitindo algum sentimento. Gosto do jeito que ela brinca com a luz em algumas e das fotos com seus gatos. É uma delicia vê-las que a cada novo dia 6 do mês fico esperando as fotos do projeto 6 on 6. Esse último ficou incrível de lindo! *-* Flickr

Maíra Namba

A Maíra foi uma amiga blogueira que fiz em 2011 (ano que criei o blog), mas que não tinha ainda visto melhor do seu trabalho. Sabia que ela cursava design gráfico, mas não conhecias suas fotos, só ano passado que comecei a me encantar por elas. Bom, suas fotos são a prova mais que certa de que não é a câmera que faz o fotógrafo e sim o fotógrafo que faz a câmera. Ela usa uma Sony DSC-HX1, uma semi-profissional com lente fixa, mas que isso não a impede de fazer coisas lindas e incríveis, como o efeito Lightpaint. As cores, também, são bem suaves e calmas. Flickr

Têm também a Emi que não coloquei nesse post, porque já mostrei as suas fotos aqui. Mas só para dar uma geral nas fotos dela, também, gosto da criatividade que ela tem para os ensaios e como brinca com as cores e a luz, assim como a Bee. Ela também participa do 6 on 6.

E ai vocês gostaram? Conheciam todas elas? =}

Pessoal

Projetos para 2013

January 12, 2013

Como eu já tinha falando antes e já tinha até mostrado no post anterior uma pista de quais projetos tinha decidi executar esse ano. Bom, no final de dezembro pensei que poderia ser uma boa fazer algum projeto pessoal, ano passado participei de um coletivo de fotografia e foi muito legal, em breve mostro para vocês o resultado.

Então, pensei em dois: 365 dias e 52 semanas, com o simples motivo de melhorar minhas técnicas e meu olhar fotográfico. E é o que esses projetos basicamente servem, você começa a explorar possibilidades novas, ângulos e coloca a imaginação em ação.

Projeto 365 dias

Projeto 365 dias (project 365 days) consiste em tirar postar uma foto por dia em qualquer rede social ou blog. Ele é mais conhecido pelos usuários do Flickr e já vi muitas pessoas que fizeram e esse ano, ele anda rolando pelo instagram, também. E o que ele tem de dificuldade? Tirar fotos todos os dias e não se repetir muito. É uma prova mesmo de colocar a imaginação para funcionar além de quer um ano de fotos de momentos ou coisas para lembrar aquele dia.

Bom, eu já meio que comecei tarde, muitos começam no primeiro dia do ano, não é regra, mas fica melhor assim você tem um ano todo. Comecei dia 3 e realmente estava gostando muito, porque estava tirando fotos todos os dias e não tinha me repetido ainda. E o melhor é que ia dormir sem ideia alguma do que fotografar no dia seguinte, mas acordava no outro dia, já com uma ideia na cabeça. Como vocês já notaram não rendeu uma semana, infelizmente. Pois é nem foi por falta de criatividade ou porque ficou chato e cansativo, mas pelo tempo mesmo, tive dois dias muito corridos e a cabeça em outro lugar. Mas tenho planos de próximo ano tentar novamente, dessa vez quero começar do dia 1º mesmo e completar. =}

Projeto 52 semanas

O projeto 52 semanas (project 52 weeks), também, é mais conhecido no Flickr e já vi muitos também participando, inclusive os mesmo que fizeram o de 365 dias. Ele consiste em postar uma foto por semana, algo que marcou ou de algum tema que você resolveu tentar fazer. Ele é bem mais simples e fácil de fazer, já que você tem uma semana para escolher a foto ou tirá-la. Esse estou fiel (\o/) e espero completar mesmo esse ano e talvez recomeçar no ano seguinte, pois gosto bastante da ideia. E ele também registra algo que aconteceu ao longo do ano.

Lembram dessa foto? {1/52} Patolino

{2/52} Marcadores

Para acompanhar o meu projeto é só ficar de olho no meu Flickr e vou trazer algumas fotos em alguns posts também. Como disse antes, vou começar a mostrar um pouco das minhas fotos. E também vou criar uma página para o projeto de 52 semanas para ficar melhor, mas isso só com o tema novo que na verdade está quase pronto e tem muito coisa boa nele. ^^

E vocês estão participando de algo do tipo, algum projeto em mente para esse ano? Ou já participaram?

Filmes, Livros

As Vantagens de Ser Invisível

January 5, 2013
As vantagens de ser invisívelStephen ChboskyEditora Rocco

Ao mesmo tempo engraçado e atordoante, o livro reúne as cartas de Charlie, um adolescente de quem pouco se sabe – a não ser pelo que ele conta ao amigo nessas correspondências -, que vive entre a apatia e o entusiasmo, tateando territórios inexplorados, encurralado entre o desejo de viver a própria vida e ao mesmo tempo fugir dela.

As dificuldades do ambiente escolar, muitas vezes ameaçador, as descobertas dos primeiros encontros amorosos, os dramas familiares, as festas alucinantes e a eterna vontade de se sentir “infinito” ao lado dos amigos são temas que enchem de alegria e angústia a cabeça do protagonista em fase de amadurecimento. Stephen Chbosky capta com emoção esse vaivém dos sentidos e dos sentimentos e constrói uma narrativa vigorosa costurada pelas cartas de Charlie endereçadas a um amigo que não se sabe se real ou imaginário.

Íntimas, hilariantes, às vezes devastadoras, as cartas mostram um jovem em confronto com a sua própria história presente e futura, ora como um personagem invisível à espreita por trás das cortinas, ora como o protagonista que tem que assumir seu papel no palco da vida. Um jovem que não se sabe quem é ou onde mora. Mas que poderia ser qualquer um, em qualquer lugar do mundo.

A história toda é contada por Charlie em forma de cartas, mas que não revela para quem é. Ele dividi as suas experiências e vivencias com o esse amigo oculto, como se fosse uma espécie de diário. Mas deixando claro que mudou o nome das pessoas para que não seja descoberto e nem que esse jugue à ele e aos seus amigos.

O livro trata de assuntos do universo da adolescência, tais como, drogas, sexualidade, primeiro beijo e outros assuntos polêmicos, como homossexualidade, violência, abuso. Assuntos esses que fazem parte não só da vida de adolescentes/ jovens, mas como de adultos.

E Charlie é aquele garoto tímido, muito inteligente, mas puramente inocente e sem conhecimento de algumas coisas do mundo. E que vai ao longo da história fazendo amigos que ele levará para toda vida, depois de um conselho no qual ele deveria “participar mais”.

E para mim isso foi uma coisa em comum e em algumas coisas me identifiquei com o personagem, como a inocência para as coisas do mundo e para as pessoas. Porque foi mais ou menos nesse período que fui amadurecendo e me “participando” mais da vida. Sim, ainda sou tímido, mas percebo que poderia ser mais se não tivesse encontrado os meus “Sams e Patricks” e que provavelmente nem teria criado o blog e começado a fazer outras coisas, como fotografar e mexer com webdesign.

A leitura é muito gostosa e que se você gostar de ler mesmo vai ler em um dia tranquilo. O livro é dividido em 4 partes com um diagramação simples, mas bem feita. E você vai gostar bastante de Charlie, porque ele é bem carinhoso na escrita das cartas.

O filme, também, é bom e traz a trilha sonora que os personagens principais escutam e comentam no livro. Tem Beatles (Blackbirds), U2, The Smiths entre outros que vocês podem ouvir no post da Biih.

Só notei algumas mudanças, mas já que compreensíveis. E o filme tem mais foco na amizade dos três, deixando outros personagens menos em evidencia coisa que no livro não acontece. Mas recomendo ler o livro e depois assistir o filme, ambos são muito bons.

E uma frase que não sai da minha cabeça, além do titulo é claro, é “Eu me sinto infinito”. Vocês vai se encantar o Charlie, mesmo.